Eu vi: Orphan Black

Orphan Black era aquela série que todo mundo elogiava, mas eu nunca tive tempo para ver. Só sabia que a trama girava em torno de clones e que a atriz principal arrasava na interpretação. Um mês atrás, fui colocar a prova se o show era mesmo tudo isso. A resposta? Sim, e muito mais.

A história começa com Sarah Manning presenciando o suicídio de uma mulher idêntica a ela. Logo, vai descobrir que se trata de Beth Childs, uma policial. Precisando de dinheiro, Sarah assume sua identidade, mas as coisas rapidamente saem de seu controle. Há outras mulheres com sua aparência e uma conspiração para matá-las.

Ela não é a cara da Shakira com esse cabelo?

Orphan Black é uma ficção científica intrigante e bem construída. Com diversidade e representatividade. A trama repleta de reviravoltas vai te fazer roer as unhas e devorar cada episódio. Praticamente todas as personagens são interessantes. Felix, irmão adotivo de Sarah, e Siobhan, são os meus preferidos do elenco secundário. No entanto, é claro que Tatiana Maslany rouba a cena. A atriz consegue dar a cada clone uma característica única. Sarah, Cosima, Helena, Rachel e Alison são pessoas diferentes com trejeitos próprios e particularidades. Realmente, sua atuação impressiona.

As duas temporadas são igualmente boas. A história fica mais intrigante no decorrer dos episódios e muitas vezes foi difícil prever os rumos da trama. Confesso que Helena e Alison são minhas clones favoritas ahah, cada uma no seu jeito. Os efeitos especiais são satisfatórios e muito eficientes quando Tatiana precisa interpretar consigo mesma. Uma determinada cena, onde as clones fazem uma pequena festinha, foi muito bem feita. Dá até para acreditar que há mais de uma Tatiana por aí…

Se você gosta de uma boa ficção científica, com trama inteligente e conteúdo adulto sem firulas, não deixe de assistir Orphan Black. Tenho certeza de que você vai entrar para o Clone Club sem se arrepender. =)

Anúncios