Eu vi: Godzilla

Depois da desastrosa adaptação de 98, eis que Hollywood tenta novamente trazer o lagartão japonês para as telonas do ocidente. Bom, dessa vez o filme dirigido por Gareth Edwards até que não faz tão feio. No entanto, está longe de ser aquela baita aventura que eu esperava.

A história é um amontoado de clichês do gênero. Se você já viu algum blockbuster/filme catástrofe, vai reconhecer as figuras carimbadas. Isso não seria ruim se ao menos os protagonistas fossem carismáticos. Infelizmente, o limitado Aaron Taylor-Johnson foi escolhido para levar o filme nas costas, deixando que atores muito mais talentosos, como Bryan Cranston, Juliette Binoche e Ken Watanabe, com pouquíssimo tempo de tela, o que chega a ser frustrante. O personagem de Taylor-Johnson, chamado de Ford Brody, é aquele típico militar americano unidimensional e de tão chato nunca consegue causar empatia com o público. É muito difícil se importar se ele vive ou morre no meio das brigas dos M.U.T.O.S com nosso querido Gojira.

Bom, se o lado humano da história não é lá essas coisas, pelo menos a parte gigantesca tinha que roubar a cena, não? Mais uma decepção. Os efeitos especiais e design de criaturas até que são legais (tenho que admitir que o Godzilla ficou lindão e a parte do bafo atômico é bem empolgante), mas não temos muita coisa para ver pelo menos até os trinta minutos finais de filme. A destruição das cidades por onde os M.U.T.O.S e Godzilla passam é simplesmente deixada em segundo plano. Até agora não entendo por que o diretor e os roteiristas resolveram esquecer da ação num filme sobre MONSTROS GIGANTES. A impressão que eu tive era de que os noticiários dentro do filme estavam muito mais interessantes que seguir a história do tal Ford Brody e de sua família.

No final, essa tentativa de 2014 consegue ser superior ao terrível filme de Roland Emmerich. Diverte e tem momentos muito bacanas. Mas, para mim, faltou o mais importante. O lagartão. Godzilla seria um filme ótimo se fosse mais como seus 20 minutos finais, onde Gareth Edwars mostrou o motivo de ter sido escolhido como diretor. Cenas bem enquadradas, sem movimentos de câmeras desnecessários. Vimos a luta dos monstros em toda sua glória. Pena que ela foi curta demais. O Rei dos Monstros não pode ser tratado como um coadjuvante de luxo em seu próprio filme.

Anúncios

2 comentários sobre “Eu vi: Godzilla

  1. Oi robertaaaaaaaaa
    então, não sou lá especialista nesse estilo de filme e só conhecia Godzilla de ouvir falar, a história em si nunca me liguei.
    O começo do filme eu achei bem chatinho. Pra mim, algumas coisas não foram bem explicadas e algumas cenas tinham uns erros que…
    Acho que o Dr. Serizawa deveria ter tido mais destaque.
    O Ford, bem… ele era chato e zzzZZZZ mas era gato.
    Ê
    Pra mim esse filme deveria ter sido mais porrada e destruição.
    Os efeitos ficaram legais sim e eu bati palma no cinema quando o Godzilla soltou o bafo atômico LOL maaaaaas… queria mais treta xD
    No geral, eu gostei do filme, mas espero que ainda façam uma adaptação melhor que essa xD

  2. Todos dizem que o Godzilla do Emmerich é ruim, não acho tanto assim, quanto a esse último, o consenso é que a ação mesmo só acontece na última meia hora, ou seja não pretendo arriscar meu suado dinheirinho com essa…monstruosidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s